Conheça 10 modelos trans que desfilam diversidade

A moda pode ser considerada um dos segmentos que mais deu suporte ao movimento LGBT, no entanto, transgêneros são constantemente deixados de lado. Através dos anos, mulheres trans tem conquistado passarelas, editoriais de alta costura, capas de revista e desfilado a diversidade por onde passam. Conheça 10 mulheres trans que marcaram a história da moda através de seu trabalho e vida.

10Arice

10- Arisce Wanzer cresceu em Virgínia, em uma família que davam muito apoio. Com ensaios impressionantes para a Purple, Candy and Dirty Mag,  Arisce está emergindo como o novo rosto de modelos transsexuais. Ela também tem uma vida amorosa muito movimentada, que narra em sua coluna de encontros mensais. Foto: Nina Poon

9Jenna

9- Depois de ganhar o concurso Miss International Queen 2010 da Tailândia para transgêneros e transexuais mulheres, Jenna Talackova voltou sua atenção para o Miss Universo 2012 do Canadá. Ela foi escolhida como uma das top 65 finalistas, mas quando alguém reconheceu Jenna do concurso Miss International Queen, ela foi desclassificada. Talackova recorreu a uma famosa advogada de direitos civis, Gloria Allred, para que pudesse competir. Ela alcançou o top 12. Foto: John Van der Schilden

8Ines2

8- A belíssima Ines Rau deu o que falar  quando sua campanha com Tyson Beckford se tornou viral. A modelo francesa que hoje mora em Nova York, se inspirou com a leitura das memórias da modelo trans pioneira Caroline “Tula” Cossey (ver N ° 3). Seguindo os passos de Tula, Ines posou para Playboy “Art Issue”,  e ela brilha na elogiada campanha da Barneys: Brothers, Sisters, Sons & Daughters, fotografada por Bruce Weber. Ela foi  chamada pelo designer de jóias Alexis Bittar para ser o rosto de sua nova campanha ( na foto).
Foto: Willy Vanderperre

7IsisCoryMalcolm

7- Isis King foi a  primeira concorrente abertamente transgênero no America’s Next Top Model. Sua carreira iniciou quando Isis era residente do New York’s Ali Forney Center contra ricos à jovens LGBT, e foi contratada para aparecer no fundo de uma sessão de fotos, seu talento natural chamou a atenção de todos. Durante sua passada em ANTM, Isis enfrentou transfobia de seus companheiros aspirantes a modelo, mas provou que existe vida após a ANTM: se tornando a primeira porta-voz trans da American Apparel, e fez parte da lista OUT100, como uma das pessoas mais influentes de 2012.Foto: Cory Malcolm

6Carmen

6. Carmen Carrera participou do show de TV norte americano, RuPaul’s Drag Race. Depois, fez uma sessão de fotos inspirada em sua carreira burlesque para a revista W, com o fotógrafo Steven Meisel. Com sua fama em ascensão, os fãs pediram à  grife Victoria Secret para contratar Carrera como sua primeira Angel trans.  Foto: Steven Meisel

5AmandaLepore

5- A carreira de modelo do ícone noturno Amanda Lepore, é mais bem resumida em duas palavras: David LaChapelle. Como musa de LaChapelle ao longo dos anos, os dois criaram uma série de surpreendentes imagens, maiores do que a vida na tradição pop art de Andy Warhol. A senhorita Lepore também é conhecida por colaborar com freqüência com Terry Richardson, que fotografou Amanda junto com a supermodelo veterana Carmen Dell’Orefice para a campanha de Sergio K outono de 2012.  Foto: David LaChapelle

4Candy

4-Musa da Velvet Underground e super estrela de Warhol, o nome de Candy Darling vive através de seu trabalho em filmes  como Flesh and Women in Revolt, e porque ela deu seu nome a primeira revista de estilo trans do mundo, Candy. Mais do que atriz e modelo, Darling merece uma menção por também ter inspirado Lou Reed, Rolling Stones, e Tennessee Williams. Seu legado em fazer transgêneros uma parte da cultura pop faz dela um  ícone de moda e estilo.

3Tula

3-Modelando com o nome de Tula, a britânica Caroline Cossey estava em seu caminho para o estrelato com atuações para  Vogue Australiana e Harpers Bazaar nos anos 70, quando os jornalistas descobriram que ela era transsexual. Como resultado, ela preferiu trabalhos mais discretos, incluindo um como figurante no filme de 1981, de James Bond, For Your Eyes Only,  o que levou o tabloide News of the World a publicar um artigo de primeira página sobre ela, sutilmente intitulado “James Bond Girl era um menino”. Embora tenha pensado em suicídio, Cossey continuou sua carreira de modelo e escreveu duas autobiografias. Depois de perder sua batalha com a Comissão de Direitos Europeus para ser reconhecida legalmente como uma mulher, Tula apareceu em uma edição da Playboy 1991 e se casou no ano seguinte, acabou se estabelecendo na Geórgia. Como a primeira modelo de moda abertamente trans, Tula abriu a porta para muitas das mulheres nesta lista.

2Octavia

2- Octavia Saint Laurent tinha muitas esperanças no memorável documentário de 1990,Paris Is Burning. Entre eles estava o desejo de seguir os passos de seu ídolo de passarela, a supermodelo Paulina Porizkova. Enquanto ela nunca alcançou status ou apareceu na capa de uma revista, Octavia -mais tarde conhecida como Heavenly Angel Octavia Saint Laurent Manolo Blahnik (Anjo Celestial Octavia Saint Laurent Manolo Blahnik) – e continua a ser um símbolo de tenacidade.

1LeaT

1- A brasileira Lea T. está no primeiro lugar por ser uma supermodelo inovadora que ganhou destaque em 2010, quando ela se tornou musa de Riccardo Tisci diretor criativo da Givenchy. Ela apareceu em seus shows de alta costura e campanhas publicitárias, e desde então tem sido destaque em vários editoriais de alta costura para revistas como a W,  Interview, V, e Candy. Ela também conseguiu capas para LOVE e Elle Brasil. O sucesso mainstream de Lea levou Oprah a ungi-la como primeira supermodelo trans do mundo, e como todos sabemos, tudo o que Oprah diz, acontece.

Fonte: OUT

Conheça 10 modelos trans que desfilam diversidade

Sobre o autor
- O nome é Hellen, mas pode chamar de Hell. Jornalista, feminista e contraditória, tenho como combustíveis o café, poesia e boas gargalhadas. Minha relação com a escrita é a mais longa que já tive, mas vivo em flerte com a moda. Sou aficionada por histórias, portanto é fácil me encontrar em um brechó, as buscando nas roupas; em um sebo, perdida nas páginas dos livros; ou observando tudo que há a volta – cuidado para não trombar comigo! Acredito na beleza como um sentimento e na moda como uma expressão cultural.

O que achou desta novidade?