Editorial para o LabModa, que é também Coolritiba

Desde que eu me entendo como jornalista, faço cobertura do LabModa. As peripécias mudam sempre de endereço, já tendo passado pelo Memorial de Curitiba, pelo MON e até dentro do shopping Pátio Batel.

Este ano, o Lab retoma os espaços abertos, mais próximo da natureza e fiel a sua proposta de unir a moda a outras expressões artísticas. A casa se monta na Pedreira Paulo Leminski, durante o festival Cooritiba. Na programação, estão diversos artistas nacionais como Criolo e os Novos Baianos (muito amor!).

O LabModa terá seu cantinho exclusivo de moda autoral, com criadores locais. Além de apresentar algumas atrações também curitibanas. Funciona como segundo palco e feira. Uma boa combinação, que faz lembrar os primeiros anos da nossa chamada Semana de Moda – agora sem muitos prazos definidos.

Os participantes desta edição são: Ellen Piragine, Velvet Underwear​, ​Maureen Miranda​, ​Guerragalas​, ​Amarillo Ropaj​e, ​Jacu​, ​Reptilia, ​Ovelha Negra Underwear​, ​W. Ritzdorf​, ​Egueiras​, ​Moko​, ​Africanize​, ​Farrapo Custom​, ​Oficina da GASP​, ​Noiga​, Textilaria, Pine AX e ​Ana Silvia.

O Editorial para o LabModa + Coolritiba

Fui convidada, junto da Carmela Scarpi, do Even More a fazer o styling para fotos de divulgação. Montamos uma equipe sintonizada, com a direção de arte de Ly Takai. O responsável pelo registro foi Anderson Angélico, que acaba de chegar na cidade, saindo dos tormentos da grande São Paulo.

Saímos do óbvio, dando novas caras ao verde e as pedras. As escadarias de incêndio fazem referência ao estilo industrial, com uma natureza que se infiltra e compõe. Uma composição urbana, que se liga a nossa busca pelo consumo consciente e harmonia em nossas vivências.

A beleza é leve e natural. Com toques de rosa para uma leitura romântica e moderna. Quem modelou os cabelos e desenhou o rosto foi a Letícia Cardoso, parceria muito talentosa!  Ainda contamos com a assistência de Lizi Sue.

 

 

 

Editorial para o LabModa, que é também Coolritiba

Sobre o autor
- O nome é Hellen, mas pode chamar de Hell. Jornalista, feminista e contraditória, tenho como combustíveis o café, poesia e boas gargalhadas. Minha relação com a escrita é a mais longa que já tive, mas vivo em flerte com a moda. Sou aficionada por histórias, portanto é fácil me encontrar em um brechó, as buscando nas roupas; em um sebo, perdida nas páginas dos livros; ou observando tudo que há a volta – cuidado para não trombar comigo! Acredito na beleza como um sentimento e na moda como uma expressão cultural.

Comentários no Facebook